terça-feira, 25 de novembro de 2014

Fernando Baiano e Pedro Barusco contam que fizeram parte do governo FHC



Em depoimentos à Polícia Federal, lobista e ex-diretor contam que começaram a praticar seus crimes há mais tempo que a mídia velha tenta convencer a opinião pública
 Na sexta feira (21), o ex-gerente da diretoria de Serviços da Petrobras. Pedro Barusco, depois de fazer acordo de delação premiada como forma de diminuir seu possível tempo de prisão, relatou em depoimento à Polícia Federal e ao Ministério Público Federal, que recebeu cerca de US$ 100 milhões em propinas por negócios escusos na Petrobras desde 1996, no governo Fernando Henrique.Fazendo coro com Barusco, na mesma semana foi a vez de outro diretor, o lobista Fernando Antonio Falcão Soares, conhecido como Fernando Baiano, dizer à Polícia Federal que começou a fazer negócios com a Petrobras durante o governo do.... Leia mais aqui

sábado, 22 de novembro de 2014

Polícia Federal chega no 'Doutor Freitas' e Aécio Neves desaparece


Após depoimentos de executivos que fizeram acordos de delação premiada afirmando que existia um 'clube' de empreiteiras que fraudava licitações e pagava propinas, misteriosamente o tucano sumiu da imprensa

 Depois de muita enrolação, com direito a manchete do tipo: “Doações de investigadas na Lava Jato priorizam PP, PMDB, PT e outros”, para não citar PSDB, apareceu o Doutor Freitas. Notinhas tímidas, em letras miúdas, no rodapé de  páginas dos grandes jornais informam que  o dono da UTC, Ricardo Pessoa, disse em depoimento à Polícia Federal que tinha contato mais próximo com o arrecadador de campanha do PSDB, o Doutor Freitas, Sérgio de Silva Freitas, ex-executivo do Itaú que atuou na ..Leia mais aqui

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

Dilma esvazia jogada política desastrada de Marta Suplicy



Só um plano de mudar de partido explicaria o gesto da senadora de sair do ministério praticamente atirando. Ao atuar como bombeira, Dilma defendeu o governo de intrigas e, até Marta, de queimaduras

O gesto da demissionária ministra da Cultura, Marta Suplicy (PT-SP), de divulgar carta de demissão quando a presidenta Dilma Rousseff viajou para o encontro de países do G-20 na Austrália, foi calculado. Fato semelhante ocorreu com Marina Silva (PSB-AC), quando pediu demissão do Ministério do Meio Ambiente durante o governo de Luiz Inácio Lula da Silva, também quando o ex-presidente estava fora de Brasília. A diferença é que Lula pensava em manter Marina à frente do ministério conciliando divergências.Marta, já sabendo que teria de entregar o cargo, principalmente devido à...Continue lendo aqui

segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Por que Eduardo Cunha se tornou queridinho da mídia tradicional


De uma forma ou de outra, a expectativa da imprensa oposicionista é de que Eduardo Cunha, na presidência da Câmara, seja foco permanente de crises políticas
A imprensa tradicional já tem seu candidato a presidente da Câmara dos Deputados: Eduardo Cunha (PMDB-RJ). A constatação se dá pelo tratamento VIP de blindagem dado a ele. Diferente de outros políticos, nada de esmiuçar as polêmicas em sua biografia, nem os processos a que responde, nem as investigações em que seu nome é citado, nem as origens e trajetória de sua carreira política. Sequer informam um perfil realista do deputado.O apoio midiático a Cunha – tido como foco de problemas na base governista, liderando... Continue lendo aqui

sexta-feira, 7 de novembro de 2014

Velha Política: Deputados da Rede de Marina votaram contra decreto da participação social



Apesar do partido Rede Sustentabilidade, de Marina Silva, ainda estar em processo de coleta de assinaturas que faltam para registrá-lo na Justiça Eleitoral, em seu site já considera como seus membros o deputado reeleito Miro Teixeira (Pros-RJ) e José Antônio Reguffe (PDT-DF), eleito senador para a próxima legislatura.Pois os dois parlamentares votaram contra o decreto que criou o Plano Nacional de Participação Social. Um.... Continue lendo aqui

quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Gilmar Mendes não diz quando devolverá para julgamento o financiamento de campanha




Ministro do STF mandou para a gaveta a principal raiz da corrupção e aproveita 'docilidade' da mídia tradicional para não acenar com nada que realmente interesse ao país

O jornal Folha de S. Paulo conseguiu a façanha de entrevistar o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, sem fazer a principal pergunta: quando ele devolverá o processo para prosseguir o julgamento da Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) 4.650, proposta pelo Conselho Federal da OAB, contra o financiamento empresarial de campanhas eleitorais?Aliás, se ele dá todos os sinais de que já tem convicção formada para votar contra, por que segurar o voto?...Continue lendo aqui

sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Veja e tucanos: fuga da campanha fraudulenta através do factóide de recontar de votos.



Fatos: reportagem forjada e pesquisa manipulada. Factóide: recontagem de votos.

Para tucanos, interessa mudar a pauta para que esses fatos caiam no esquecimento. Nesse contexto, um factóide vem a calhar: pedir uma auditoria ou recontagem dos votos, para tumultuar e funcionar como cortina de fumaça. Leia mais aqui.

quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Dilma deve assegurar participação social como política de governo



A chantagem do PMDB  começou

Com ou sem decreto que institui a Política Nacional de Participação Social, reeleição da presidenta lhe dá respaldo para que amplie espaço da sociedade em decisões de governo

Henrique Eduardo Alves está na lista do PMDB para comandar o Ministério da Previdência. Atualmente, quem ocupa a pasta é Garibaldi Alves, que voltaria a ocupar sua cadeira no Senado, e cotado pelos peemedebistas presidi-lo. O ímpeto peemedebista também foi um gesto político de disputa que passa pelo desejo de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) se eleger presidente da Câmara, com apoio da oposição se for preciso, e de ganhar mais espaço dentro do governo... Continue lendo aqui

sábado, 25 de outubro de 2014

Cordão Coração Valente, em apoio à reeleição da presidenta Dilma



 Militantes do PT na praça Roosevelt, em São Paulo, organizam um cordão carnavalesco, o Cordão Coração Valente, em apoio à reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT). "Eventuais provocações de pessoas com opiniões diferentes não devem ser respondidas", disse o grupo em sua página no Facebook

Militância na rua. É Dilma 13 amanhã



 Manifestantes favoráveis à reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT) realizam ato em São Bernardo do Campo (SP) neste sábado (25), véspera do segundo turno das eleições. Amanhã, dia 26, domingo, é Dilma 13

Campanha da Dilma entra na reta final



Após conversar com a imprensa hoje pela manhã (24) na capital gaúcha, a candidata do PT Dilma Rousseff seguiu para uma caminhada pelo centro de Porto Alegre em um carro de som, acompanhada do governador Tarso Genro (PT), candidato à reeleição, e de militantes. Depois da passeata pelas ruas da cidade, ela segue para a casa da família na capital gaúcha.

Amanhã (26), dia de votação em todo país, a atual presidente vota em uma escola municipal de Porto Alegre logo pela manhã. Depois segue para Brasília onde acompanha a apuração das urnas.

Dilma: "A meta das metas é a educação"


Em todos os seus discursos e entrevistas, a presidenta Dilma Rousseff tem reforçado que a prioridade máxima de seu próximo governo será a Educação e que vê na democratização das creches a construção de um futuro igualitário para os brasileiros.

Um dos objetivos de Dilma é levar creches e pré-escolas para todas as crianças de zero a cinco anos, em todos estados do Brasil e fazer com que a Educação Infantil obrigatória comece a partir dos quatro anos.

As creches atendem crianças de zero a três anos de idade. “A raiz da desigualdade está na diferença de oportunidades na primeira infância. É nessa faixa etária que as crianças adquirem conhecimentos por meio de estímulos pedagógicos, que desenvolvem a capacidade de aprendizagem ao longo do tempo e melhoram toda a absorção de aparato lógico e também de domínio da língua”, explicou Dilma.

A construção de creches é uma ação federal inovadora, já que é função das prefeituras. Durante o governo Dilma, foram contratadas 6.452 creches e a presidenta ainda assumiu as 1.938 unidades originadas no final do governo Lula, através do Pró-infância, que estavam em estágio inicial de construção.

Atualmente, estão em funcionamento 2.052 novas creches. “Também estão em construção, com obras contratadas, sem nenhum problema, 4.055”, ressaltou Dilma. Outras 2.283 já foram contratadas e estão em fase inicial de construção.

Dilma também criou o Programa Brasil Carinhoso, que amplia o acesso de crianças mais pobres, de famílias beneficiárias do Bolsa Família, às creches. O Bolsa Família, além de aumentar a renda das famílias, diminuiu a evasão escolar, já que vincula a frequência escolar ao recebimento do benefício.

“Essa geração agora é a primeira geração que não passou fome e teve acesso à Educação. Até 2016, temos de universalizar, colocar na escola todas as crianças de 4 e 5 anos. É isso que temos que garantir a todos os brasileirinhos e brasileirinhas”, afirmou a presidenta. A meta é factível, já que atualmente 82,2% das crianças desta faixa etária frequentam a pré-escola.

Além disso, os governos do ex-presidente Lula e da presidenta Dilma realizaram grandes transformações na Educação dos brasileiros em todos os níveis de ensino, pois triplicaram o orçamento do setor, que saltou de R$ 18 bilhões, em 2002, para R$ 112 bilhões, em 2014.

A presidenta Dilma ainda sancionou o Plano Nacional de Educação (PNE), que prevê investimento de 10% do PIB em Educação e garantiu que os investimentos no setor continuem no longo prazo, já que implementou a lei que destina 75% dos royalties do petróleo e 50% do Fundo Social do Pré-Sal para a Educação.

Conquistas contínuas

As propostas de Dilma para o próximo governo tiveram como base as ações que implementou ao longo do primeiro mandato. Em abril deste ano, a presidenta sancionou uma lei determinando que a Educação Básica seja obrigatória dos 4 aos 17 anos. Antes disso, a idade mínima era 6 anos. A medida garante que as crianças sejam estimuladas desde cedo, algo que antes era privilégio de poucos que podiam pagar uma escola particular.

Outra proposta é garantir que as crianças sejam alfabetizadas na idade certa, até os oito anos. Também fazem parte das metas do PNE implantar a Educação de Tempo Integral em pelo menos 50% das escolas públicas e oferecer formação contínua aos professores, melhoria salarial, planos de carreira e valorização da meritocracia. No governo Dilma, já oferecem a educação em tempo integral mais de 56 mil escolas, nas quais os alunos têm acesso a atividades artísticas, culturais, esportivas e reforço escolar.

Mas não foram só as crianças que se beneficiaram com as ações do Governo Federal no âmbito da Educação. Nos últimos 12 anos, o Brasil bateu recordes com a criação de 422 escolas técnicas, 18 universidades federais e 174 novos campi universitários.

Mais Educação

O Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), criado em 2011, ampliou as oportunidades profissionais de jovens e trabalhadores com a realização de 8 milhões de matrículas. A meta para os próximos quatro anos é realizar mais 12 milhões de matrículas em cursos profissionalizantes.

O acesso ao Ensino Superior deixou de ser um privilégio para poucos durante os governos Lula e Dilma. O Programa Universidade para Todos (Prouni) e o Programa de Financiamento Estudantil (Fies) já beneficiaram mais de 3 milhões de jovens com bolsas e financiamentos.

Além disso, a Lei de Cotas democratizou o ensino superior, ao garantir o acesso da população de baixa renda, negra e indígena às universidades federais. Com essas ações, o número de universitários brasileiros praticamente dobrou nos últimos 12 anos.

Com o Programa Ciência Sem Fronteiras, lançado pela presidenta Dilma, mais de 100 mil bolsas de estudos foram concedidas para que estudantes brasileiros de graduação e pós-graduação pudessem aprimorar seus conhecimentos em renomadas faculdades de todo o mundo. Este é o maior programa de formação exterior já realizado no País.

“É um jornalismo de esgoto”, diz presidente do PT sobre Veja




“É um jornalismo de esgoto! É uma matéria sem fonte, mentirosa, caluniosa e difamatória”, afirmou Rui Falcão, presidente do Partidos Trabalhadores (PT), nesta sexta-feira (24), sobre reportagem divulgada na última edição da Revista Veja. A Coligação Com a Força do Povo vai acionar judicialmente a publicação no Tribunal de Justiça Eleitoral, Ministério Público Eleitoral, nos tribunais cíveis e na esfera penal.

“Primeiro, para coibir qualquer tipo de propaganda em outdoor, televisão, rádio, propaganda da matéria, porque constitui tentativa de interferência no processo eleitoral. Direito de resposta, inclusive em relação à Veja Online, porque está circulando também; processo crime contra o delator; pedido de indenização contra a Revista Veja. Enfim, são iniciativas para mostrar como nos repugna este tipo de jornalismo que é praticado por este panfleto eleitoral”, declarou Rui Falcão.
Em relação ao debate entre presidenciáveis desta noite, realizado pela TV Globo, o presidente do PT afirma que usar este conteúdo calunioso é uma temeridade, sobretudo porque não há provas.
“O próprio advogado do delator ouvido pelos jornais diz que nunca ouviu falar daquilo. É uma matéria com delegado fantasma; com um depoente cuja suposta declaração é desmentida pela própria advogado. É uma temeridade, num momento em que o Brasil todo espera que os candidatos apresentem propostas, querem enveredar por este caminho. Mas, se vier, nós teremos resposta”, avalia o presidente do partido.
Rui Falcão diz que a matéria não terá efeito nas urnas, pois é uma matéria totalmente falsa. Afirmou ainda que a militância estará unida até o último minuto para apoiar a presidenta Dilma Rousseff.
Apuração das urnas

Segundo Rui Falcão, será feita apuração paralela, com seleção de mais de quatro mil urnas em todo o País para conferir os resultados. “Houve muita denúncia de possibilidade de fraude, que eu não acredito, mas por via das dúvidas, é bom fazer uma apuração paralela”, explicou Falcão.

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Para Aécio, limpeza de hotel, praças, febre aftosa e exposições, foram gastos em saúde



Apesar de o Tribunal de Contas de Minas Gerais não facilitar o acesso à informação com clareza, desde 2006 há diversas reportagens sobre o assunto, como fez a Folha de S. Paulo, com o título: "Aécio maquiou gastos da saúde em Minas".Nas contas de 2004, foi lançada no orçamento da secretaria de saúde, erradicação da febre aftosa, que só atinge rebanhos bovinos e é assunto da agricultura. Também entraram na conta da saúde extravagâncias como ... Leia mais aqui